Blog

Empreendedorismo Feminino na Índia

A Índia é marcada por ser um país com uma grande diferença social. A discrepância econômica é notada nas diferentes regiões. Além disso, as mulheres indianas enfrentam uma cultura ainda patriarcal, principalmente, com pressões para se casarem. No entanto, elas têm conquistado, cada vez mais, espaços dominados pelos homens e iniciado seus próprios negócios.

Queremos compartilhar aqui três iniciativas empreendedoras lideradas por mulheres que estão a quebrar barreiras culturais e econômicas. A primeira é a Hey Deedee, criada pela Revathi Roy, que oferece uma solução para problemas de entrega de encomendas por moto. As entregas são feitas por uma frota feminina. As mulheres são treinadas pela Zaffiro Learning Pvt Ltd, que visa capacitar mulheres carentes, treinando-as em duas rodas e garantindo-lhes um emprego na plataforma.

A segunda iniciativa é dirigida pela Suhani Mohan e se chama Saral Designs, uma empresa que tem como objetivo impactar as mulheres que não usam produtos menstruais higiênicos, resolvendo o problema de conscientização e acesso ao produto. Nos países em desenvolvimento, devido à infraestrutura deficiente, os custos de distribuição tornam os produtos mais caros e muitas marcas não atendem locais mais remotos. No entanto, há um imenso potencial de produção local que não apenas reduz os custos de distribuição, tornando os absorventes mais acessíveis, como também cria oportunidades de subsistência local.

Vale lembrar que a menstruação é um tabu na sociedade indiana, principalmente para mulheres que vivem nas centenas de vilarejos ao redor do país. Um documentário recente que trata desse assunto é o Absorvendo o Tabu, disponível na Netflix.

Por último, a Wishberry, criada pelas empresárias Priyanka Agarwal e Anshulika Dubey, é uma plataforma de crowdfunding focada na indústria criativa. Para elas, o crowdfunding tem tudo a ver com a criação de uma comunidade em torno de um projeto. As pessoas que financiam o projeto também ajudam na divulgação do mesmo. É uma questão de pedir pequenas quantias de dinheiro a muitas pessoas, em vez de encontrar uma ou duas pessoas para lhe dar um grande cheque. É assim que as empresárias ajudam a indústria criativa da Índia.

A FreedomeE acredita que o empreendedorismo feminino é um caminho eficiente na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Por isso, valorizar esses projetos é essencial na nossa jornada pela construção de um ecossistema de impacto positivo.

Fontes:
https://heydeedee.com/

Home


https://www.wishberry.in/

Homepage