Blog

Efeitos da Pandemia na Economia

Todos sabemos que 2020 não foi um ano promissor, e, economicamente falando, não foi diferente. o que a Covid-19  realmente trouxe à tona, na prática?

Com a retração econômica e a crise de saúde, vimos a pandemia explicitar de que formas o modelo socioeconômico vigente no ocidente está defasado e obsoleto, ao vender uma liberdade que não existe e  não pode existir: A ideia falsa de liberdade como individualismo, que é viabilizada às custas da exploração da massa trabalhadora, que por sua vez é romantizada e mantida através do conceito meritocrático igualmente falacioso .    Métricas e estudos mostraram que em 2020 as taxas de produção, comércio,  serviços e emprego caíram drasticamente por todo o mundo. A pandemia forçou o mundo a rever a lógica econômica vigente e desnudou as fragilidades do sistema capitalista atual:  A insustentabilidade do consumo constante, da desigualdade como objetivo, e do individualismo como base de uma sociedade cada vez mais plural e complexa. A pandemia não é individual, e os países que abordaram a crise por viés ideológico individualista fracassaram em combatê-la.

Por décadas o mantra da economia, repetido à exaustão e a exclusão de dados empíricos, recitava o receituário ideológico de redução do investimento de governos em redes de proteção social, serviços públicos e políticas públicas que atendessem a demandas gerais da população, em favor de menor regulamentação e controle  do Estado sobre iniciativas privadas, pois assim, supostamente, a economia teria liberdade para se desenvolver e garantir a máxima prosperidade para o maior número de pessoas. Na prática, essa visão nunca se concretizou.

Enquanto grandes conglomerados, multinacionais e gigantes financeiros, amparados no capital financeiro mundializado expandiram suas fortunas durante a pandemia, pequenas e médias empresas que dependem  da produção e circulação de produtos no curto prazo assistem desamparadas ao estrangulamento de suas capacidades produtivas. A pandemia da Covid- 19 expôs, mais do que nunca,   a contradição entre aqueles que produzem valor e aqueles que se apropriam do valor gerado, sem em nada contribuir com sua produção.
Vivemos um modelo econômico que amplia a diferença entre as classes e dificulta a mobilidade social pois tira da base as condições de crescimento e muitas vezes até mesmo da sobrevivência.

Nesse contexto , antagonicamente ao sistema vigente, FreedomeE surge justamente para lutar pela criação de condições para geração de igualdade econômica e social. Lutamos pela criação de novas formas de trabalho, novas relações comerciais entre as partes da cadeia, novas formas de geração de renda  que proporcionem oportunidades justas e dignas para todos, propondo a diminuição do “gap”econômico e social através de um novo modelo de economia que não seja  pautado nos princípios individualistas e excludentes do atual sistema. Nosso ecossistema é pautado por 5 pilares de impacto positivo, ( Economia, sociocultural, tecnológico, meio ambiente e qualidade)  para que os efeitos das relações comerciais justas e inovadoras se estendam a todas as esferas da sociedade, pois entendemos que a solução da nova era é democrática, inclusiva, coletiva e múltipla.